Escolhe a alegria!

Boletim informativo do Projeto de Apadrinhamento de Crianças do Vietname, Natal de 2015.

Caros amigos, padrinhos das crianças do Vietname, 

Espero que tenham passado um Feliz Natal e que as entradas em 2016 tenham sido felizes. Saudações da parte das crianças apadrinhadas que, de alguma forma fazem parte das vossas vidas. Obrigado por tornarem possível para estas crianças tornarem-se melhores pessoas na sociedade. Vocês apoiam estas crianças na sua educação e elas ficar-lhe-ão eternamente agradecidas. O programa tem avançado bem e, apesar de alguns padrinhos e madrinhas terem avançado em idade, esperamos continuar a apoiar estas crianças.

Neste momento, temos 293 crianças apoiadas, 79 das quais sem padrinho (são apoiadas com outras doações que recebemos). O problema é que há muitas outras crianças a bater à nossa porta. Dói-me o coração ao perceber que não as podemos apoiar por falta de padrinhos. Temos, pelo menos, de continuar a apoiar aquele grupo de crianças e fazer com que continuem a sua educação.

Este ano, fizemos duas visitas às crianças, pelos padres Simon e Quoc, acompanhados por alguns estudantes em formação. Como habitualmente, partilhamos as suas experiências e algumas cartas das crianças.

Para terminar, uma boa notícia: alguns jovens já terminaram a sua formação este ano, e prometeram procurar emprego e apadrinhar outras crianças assim como eles foram apadrinhados. Esperamos ter mais pessoas que estejam dispostas a apadrinhar mais crianças, para podermos tomar a decisão de aceitar ou não outras crianças.

Fazemos a transferência dos apadrinhamentos em Janeiro. Pedimos que verifiquem a vossa situação no vosso relatório.

Que Deus vos abençoe e às vossas famílias, bem como as crianças apadrinhadas e suas famílias.

Com os nossos melhores cumprimentos, 

P. Isaac Donkor

Visita do P. Simon (26-30 de Maio) 

Enquanto aguardava a minha visita a Hué, encontrei-me com uma nova madrinha vietnamita que me quis acompanhar na visita e encontrar formas de apoiar as crianças pobres. Esta senhora, a Sra. Phuc, é mãe de duas jovens vietnamitas casadas com taiwaneses e que fazem parte da nossa comunidade cristã da paróquia do Espírito Santo, em Hsinchu, Taiwan.

Na manhã do dia 27 de maio, a Sra. Lai e eu recebemos a Sra. Phuc no aeroporto de Hué, e levamo-la a visitar as diversas localidades onde vivem as crianças apadrinhadas pelos nosso projeto. Passamos também numa paróquia dos redentoristas em Hué para conhecer um grupo de 10 crianças. A Sra. Phuc ficou radiante por rever o P. Duc, redentorista, que há anos tinha ido pregar à sua paróquia. Ela ofereceu a generosa soma de 10 milhões de Dong (cerca de 415 Euros) para apoiar aquelas crianças. Depois visitamos outros grupos de crianças.

Visitámos também A-Luoi, onde tem um grupo de crianças ao cuidado da Ir. Anh, das Irmãs da Imaculada Conceção. Depois de encontrar as mais de 20 crianças aborígenes desta zona das montanhas e de ouvir as irmãs que delas cuidam, a Sra. Phuc pensou em pedir aos seus amigos para doarem roupas e uniformes escolares para aquelas crianças pobres. E fê-lo logo que voltou para Hai Phong, a região onde vive, depois das visitas.

Para além de irem à escola, muitas crianças têm também de ajudar os pais no cultivo dos campos e outras atividades para sobreviver. Ao visitar Tran Thi Ngoc, uma das crianças apadrinhadas, fomos recebidos numa casa muito pobre, feita de ramos de árvores secas e velhas placas de amianto, onde a família vive há mais de 20 anos. Decidimos ajudá-los a construir uma casa pequena para viver e prometemos arranjar pessoas para nos ajudar nessa tarefa.

Visita do P. Quoc a Hue (25-30 de Maio de 2015)

Desde o início de março, os confrades espiritanos no Vietnam pretendiam visitar as crianças apoiadas pelo nosso programa em Hue e nas áreas circundantes dessa província. Como os estudantes espiritanos regressavam das Filipinas para as suas férias, decidimos incluir esta visita como parte do programa pastoral deles. Fui escolhido para liderar um grupo de três para visitar Hue. No início de maio, contactei o P. Cong, coordenador responsável pelo programa de apadrinhamento em Hue, e informei-o de que um grupo de três, dois estudantes e eu, iria visitar Hue durante a semana de 18 a 22 de maio. O P. Cong advertiu-me de que não seria a melhor altura para uma visita, porque os estudantes locais estariam em exames. Alterámos então a data para a semana de 25 a 30 de maio. 

No dia 25, eu e os dois estudantes, Hoang e Sinh, partimos então para Hue. Quando chegámos, reunimo-nos durante a manhã com a Sra. Lai, para fazermos um plano da nossa visita. Estes seriam os lugares visitados, segundo o plano estabelecido: casa da Sra. Lai, casa dos Redentoristas, casa da Irmã Thao, casa dos irmãos e sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus, casa do Sr. Trinch, A-Luoi, Thanh Hoang e Cam Io. 

A primeira coisa a fazer era visitar os estudantes, encontrá-los pessoalmente e falar com eles para encorajá-los nos seus estudos. À medida que falávamos com os eles, ouvíamos a sua história pessoal assim como a das suas famílias. Tirar uma foto também fazia parte do nosso trabalho. A maior parte dos estudantes fez bons progressos nos estudos. Ficámos muito contentes com tudo isso. 

Em seguida, tínhamos de encontrar os coordenadores. Agradecemos a Deus, pela oportunidade de encontrarmos mais coordenadores do que nas últimas visitas. Na casa da congregação de Nossa Senhora da Visitação, a Irmã Thao apresentou-nos uma lista dos alunos que deixaram os estudos. O P. Cong informou-nos de que dois dos seus estudantes tinham deixado os estudos. 

Em A-Luoi, há um grupo indígena perto da fronteira com o Vietname e o Laos. O grupo era coordenado pelo P. Chien. No dia em que o visitámos, ele acolheu-nos muito bem: tivemos o que comer e onde descansar. Mais tarde, decidiu passar a responsabilidade da coordenação das crianças para a irmã Tra Anh da Congregação das Filhas da Imaculada Conceição. Relativamente ao grupo do Sr. Trinh, tudo corre bem. Ele queixou-se que, devido à taxa de câmbio do Euro, o dinheiro nem sempre é suficiente. 

Durante esta visita, aproveitámos para mostrar aos nossos dois estudantes que a missão espiritana passa por estar ao lado dos mais pobres, incluindo as crianças que não têm oportunidades para estudar. O estudante espiritano Sinh estava muito animado. Tratava-se da sua primeira visita a Hue. O seminarista Hoang já tinha visitado um outro grupo em Ca Mau, pelo que não era o seu primeiro contacto com a realidade. Já sabia como lidar com as crianças e também já conhecia Hue.

A viagem foi muito gratificante. Ficámos muito contentes por ter encontrado as crianças e os seus coordenadores. Trabalhar juntos no terreno torna-se mais esclarecedor do que através do correio eletrónico. Os coordenadores fizeram todos os esforços para nos coordenar durante a visita, assim como às crianças. Cada criança revelava alegria ao partilhar connosco a sua história. Vendo crianças e coordenadores felizes, ficámos muito gratos pelo projeto desenvolvido e estamos ansiosos para fazermos uma próxima visita. 

Fr. Simon with the Visitation Sisters, at their Kindergarten